“ICEBERG” – Ventos de Norte

ICEBERG

A Holanda

Geert Wilders

está a ser varrida por uma perigosa vaga de xenofobia e antieuropeísmo; teme-se que a onda se estenda a outros países do Norte da Europa e também ao Reino unido e à França.

Para agravar a situação contam-se alguns imprevistos; o conflito na Síria e as grandes cheias nos Balcãs, e ainda a recente entrada em livre circulação nos países da comunidade de cidadãos vindos da Bulgária e Roménia; com taxas de emigração muito superiores à portuguesa, e com a agravante de a maioria deles serem “pedintes” e os outros não possuírem mão-de-obra especializada, o que contribui para o crescimento do sentimento anti Europa; ao contrário da emigração portuguesa que constitui a “fina flor” dos países em “fuga”.

Alguns dos Estados como a Inglaterra, já ameaçaram que a continuidade na União Europeia, vai ser submetida a referendo; e contam com o incondicional apoio dos estrangeiros que trabalham legalmente naqueles países, porque não querem que a concorrência ilegal venha colocar em risco os seus postos de trabalho; no caso da Alemanha se for aprovada a nova lei sobre imigração, prevê-se que perto de 3 milhões tenham que abandonar aquele país; dos quais 600.000 são portugueses.

Portugal pode ter que receber de regresso, um milhão e meio de portugueses, o que será uma catástrofe com as dimensões de 1975, quando a população portuguesa cresceu num ano 12% com “ A Fuga de Africa”.

Os povos do Sul da Europa estão desmotivados com o percurso das políticas económicas aplicadas aos seus países, que tiveram como objetivo resolver a crise financeira na banca alemã e da francesa à custa de pesados sacrifícios dos povos do sul, onde existem pontos sem retorno como foi o caso da divida que contraíram e que não vão conseguir pagar, porque dependemos de fatores exteriores que não foram tidos em conta como acima referi. Por isso estas eleições não aquecem nem arrefecem; mas mesmo assim devemos todos ir votar em alguém que não tenha a responsabilidade de ter entregue o país à Alemanha, principal responsável por toda a austeridade que nos tem sido imposta.

Marine Le Pen

Portugal tem que levar uma grande sacudidela sem a qual, nunca mais vamos sair desta letargia crónica em que nos encontramos; uma situação que vai servindo uns quantos, em detrimento de todos os outros.

Quanto à Europa e a estas eleições, a aventura para os povos do sul, onde se inclui 90% dos portugueses tem sido um grande pesadelo, mas está quase a chegar ao fim.

Foi um período de grande prosperidade para os países do Norte, em que o sul pagou uma pesada fatura.

Quanto ao futuro da Europa, voltará como foi inicialmente; “A Associação do Carvão e do Aço”.

A prestação dos países do Sul acabou; apenas deixo uma ressalva; vamos pagar a dívida!.. Porquê?

Joaquim  Vitorino, Colunista Especializado do Jornal de Oleiros, Sub-Director do Jornal de Vila de Rei

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Opinião. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *