INQUIETUDE – O meu País…

Inquietude

O meu País…

Nasci há 57 anos num país chamado Portugal.

Bandeira de Portugal

Nasci num país triste, pobre e fechado sobre si mesmo.

Vivi num país enorme, em alguns momentos da sua história.

Vivi num país onde as mulheres não tinham os mesmos direitos que os homens.

Vivi num país onde ir à escola, para além da primária, não era para todos.

Vivi num país onde não se podia dizer o que nos ia na alma.

Vivi num país governado por um ditador.

Vivi num país onde o vinho alimentava milhões.

Vivi num país que enviava para a guerra e a morte os seus jovens.

Vivi num país onde a esperança nunca morreu.

25 de Abril

Vivi num país onde se fez Abril.

Vivi num país que encontrou os caminhos da liberdade e da democracia.

Vivi num país que cresceu e devolveu alegria ao seu povo.

Vivi num país que aumentou a esperança de vida dos seus homens e mulheres.

Vivi num país que se abriu à Europa.

Vivi num país que deu novos horizontes aos seus jovens.

Vivi num país que soube desenvolver-se.

Vivi num país que prometia segurança e futuro.

Agora vivo num país onde aos poucos se deixou de acreditar.

Vivo num país de mentirosos, oportunistas, demagogos e especuladores.

Vivo num país amordaçado pelo capital.

Vivo num país subjugado por interesses externos.

Vivo num país que desistiu dos seus jovens.

Vivo num país que maltrata os seus velhos.

Vivo num país onde vale quase tudo.

Não quero continuar neste país. Ou mudo eu ou muda o país.

Vislumbro, no horizonte, a oportunidade de mudança.

Vejo renascer a esperança.

Vejo a preocupação com as pessoas.

E aqui tão perto. A mudança. O recomeçar.

Um país com esperança. Um país de todos e para todos.

Dia 25 vamos votar. Ficar em casa é demissão. Vamos lutar.

Afinal, porque quero continuar a viver nesse país que me viu nascer, viver e onde vou querer, um dia morrer.

Para isso vou votar. Vou votar na mudança!

* José Lagiosa escreve Inquietude todas as 5ªs feiras.

Director-Adjunto do Jornal de Oleiros e do Jornal de Vila de Rei

Europa


Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Opinião. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *