Oleiros recebe Congresso Nacional de Turismo Rural

A 20 E 21 DE JUNHO

 

Pedro Machado, Fernando Jorge e Armindo Jacinto

Foi apresentado ontem, dia 13 de maio, no auditório da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), em Coimbra, o I Congresso Nacional de Turismo Rural, a ter lugar nos dias 20 e 21 de junho em Oleiros, no Hotel Santa Margarida.

Subordinado ao tema “Turismo, Território e Património”.

O evento é organizado pela Federação Portuguesa de Turismo Rural e a Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, em colaboração com o Município de Oleiros e a Naturtejo E.I.M.

Armindo Jacinto, vice-presidente da Federação Portuguesa de Turismo Rural, pelo Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro de Portugal e Fernando Jorge, presidente da Câmara Municipal de Oleiros, estiveram presentes na apresentação.

Portugal atravessa um momento particularmente importante e decisivo na definição das suas linhas orientadoras do Turismo em geral e do Turismo Rural em particular”, foi referido pelos promotores.

Segundo a organização do evento “os resultados globalmente conseguidos em 2013, com particular preponderância para os territórios Porto, Lisboa e Algarve, deverão agora assumir um objetivo e desígnio nacional, no sentido da sua extensão aos territórios de baixa densidade, afirmando-se pelas suas valias diferenciadoras e contribuindo para uma melhor coesão e sustentabilidade tanto dos territórios como do setor”.

 

Manuel Machado

A encerrar a apresentação, houve ainda lugar para um bastante apreciado Callum d´Honra, nos jardins da sede da ANMP, onde não faltaram as mais inovadoras iguarias do território. Presente neste acontecimento, esteve também Manuel Machado, presidente daquela associação e da Câmara Municipal de Coimbra.

O Congresso será composto por dois painéis: Turismo Sustentável – Desafios para Portugal e Contributos do Turismo em Ambiente Rural para o Turismo Sustentável e nele estarão presentes as maiores individualidades na matéria. O acontecimento contará ainda com a participarão representantes de todas as Entidades Regionais de Turismo (ERT´s) do Continente, Açores e Madeira, assim como das Agências Regionais de Promoção Turística (ARPT´s).

O grande objetivo desta iniciativa centra-se na definição das “políticas e estratégias de afirmação de um setor que, segundo a OMT apresenta sinais de crescimento a um ritmo de 6% ao ano”. Ainda segundo a organização, “a sustentabilidade do segmento “Sol e Mar” que tem estado na base da nossa promoção externa, precisa de desenvolvimento complementar de outros segmentos como forma de garantir a sua sustentabilidade. Por outro lado, o Turismo Rural pode ser o motor para o desenvolvimento dos territórios de baixa densidade, contribuindo para combater a desertificação e o abandono e através dos seus efeitos multiplicadores, fomentando o desenvolvimento de pequenas economias”.

 

Hotel Sta. Margarida – Oleiros

Portugal desenvolveu nas últimas décadas um significativo investimento em estruturas turísticas em ambiente rural que agora é preciso complementar, através de políticas de investimento em promoção externa que garantam um significativo aumento da procura, como forma de contrariar a forte sazonalidade do setor pela atual dependência que tem face ao mercado interno. Este é o grande desafio que se coloca atualmente ao setor, tentando encontrar as formas de organização que contribuam de forma construtiva, inclusiva e abrangente para desbravar os caminhos que possam contribuir para que Portugal esteja no pelotão da frente, no que respeita ao desenvolvimento esperado deste setor no contexto do Turismo Nacional.

No quadro da importância que os promotores atribuem à realização deste primeiro Congresso Nacional de Turismo Rural, estão agendados “Encontros Regionais de Turismo Rural”, como suporte à realização do evento e no sentido de analisar os desafios e os constrangimentos de natureza regional. Assim, o primeiro será no dia 15 de maio (Turismo do Porto e Norte) e o segundo no dia 22 de maio (Turismo do Algarve).

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Oleiros. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *