Paulo Freitas do Amaral Candidato à Presidência da República

Damos à estampa a primeira candidatura à Presidência da República

. Candidatura mais jovem de sempre à Presidência da República

Paulo Freitas do Amaral, candidato independente nas últimas eleições, apoiado pelo CDS à Câmara Municipal de Oeiras, ex-membro do XVII Governo e ex-Presidente de Junta de Freguesia, anuncia hoje, dia em que faz 36 anos (idade mínima para ir a votos) a sua intenção de formalizar a sua candidatura à Presidência da República.

O jovem candidato diz em vésperas da comemoração dos 40 anos do 25 de Abril que é preciso nas eleições de 2016, os jovens de Portugal terem uma voz que mobilize atenções para os problemas que os afetam neste Portugal em crise, dominado pelos barões de sempre, demonstrando desta forma que as candidaturas na política portuguesa não estão somente reservadas param os mesmos protagonistas de há 40 anos.

A reforma do sistema partidário e as situações de irregularidades financeiras mantidas e protegidas pelos partidos do “bloco central” serão uma bandeira da sua campanha visando sempre a transparência democrática.

O ex-candidato a edil do concelho de Oeiras, partilha ainda a ideia que o processo eleitoral dos candidatos incómodos às presidenciais serão alvo dos partidos principais que tentarão desta forma boicotar e calar os candidatos hostis ao sistema partidário, boicotando a entrega de certidões nas juntas de freguesias da certos candidatos, mudando as regras de debate e direito de antena nos órgãos de comunicação social em vésperas de eleições e por último pressionando o tribunal constitucional a inviabilizar candidaturas.

O candidato afirma que todas estas “manobras” já foram utilizadas em recentes eleições presidenciais e autárquicas pelo próprio sistema partidário e que voltarão a ser utilizadas a par das difamações de cada candidato.

No entanto diz que está disposto a tentar porque em Portugal há um medo instalado de discordar, avançar, arriscar e conseguir.

Paulo Freitas do Amaral lança desde já um fator diferenciador da sua candidatura, dizendo que é uma candidatura que não é submissa a partidos. Afirma que “não há democracia sem partidos mas que não os tem de os bajular. As presidenciais são umas eleições de indivíduos livres e com ambição para Portugal. Ir a congressos dizer piadas de forma a agradar ao aparelho não faz o meu género”…(numa clara alusão ao Prof. Marcelo Rebelo de Sousa)

O jovem candidato ainda afirma que se candidata pelo aprofundamento da discussão pública e lembra que Lula da Silva no Brasil só ganhou à sexta vez que se candidatou.

Afirma também que a marcação da agenda de discussão política é importante para a reflexão dos cidadãos em relação a certos assuntos e que o período de campanha é extremamente importante para fazer essa discussão e reflexão.” Estou disposto a contribuir para isso” afirma.

Paulo Freitas do Amaral fará a sua sede de campanha em Guimarães, como símbolo de uma necessidade de fazer renascer Portugal da sua falta de soberania.

 
 

Paulo Freitas do Amaral

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *