Deputada do PCP reúne com Instituições do Ensino Superior

NO DISTRITO DE CASTELO BRANCO

Paula Santos

A deputada do PCP na Assembleia da República, Paula Santos,  na última deslocação ao Distrito, centrou parte da intervenção em torno das questões do Ensino Superior e da Ciência, tendo reunido com o Presidente do IPCB e com um Vice-Reitor da UBI.

O PCP tem acompanhado com particular atenção a situação do Ensino Superior e da Ciência no país e em particular na região, “alertando e denunciando que o sistema de Ensino Superior Público  tem sido fustigado há vários anos”.

Recentemente, o PCP confrontou o Ministro da Educação e Ciência com os possíveis impactos do processo de alterações na rede do Ensino Superior em Portugal, na salvaguarda da missão das instituições, das perspetivas de desenvolvimento regional e de todos os postos de trabalho, exigindo um compromisso do governo que não existiriam quaisquer despedimentos de docentes e não docentes e encerramento de instituições, “mas tal não foi assumido” acrescenta o partido em comunicado.

As instituições de Ensino Superior no Distrito têm sofrido “duros cortes” no seu financiamento, sendo que o IPCB entre 2010 e 2014 perdeu 4,8 milhões de euros e a UBI em 2014 sofre um corte de 1,6 milhões de euros, colocando grandes estrangulamentos no funcionamento.

Outra das preocupações comuns, relaciona-se com o abandono de estudantes, motivados essencialmente pelas grandes dificuldades económicas das famílias, cerca de 300, crescendo o número de estudantes com apoio de ação social escolar, 25% no IPCB e 27% na UBI, sendo que na UBI 40% dos estudantes requereram este apoio, verificando-se também mais pedidos de emergência social, demonstrando assim que a ação social escolar não responde às reais necessidades dos estudantes.

Relativamente aos cursos de curta duração que o Governo pretende impor aos institutos politécnicos, o IPCB transmitiu ao PCP que estes não diferem dos atuais cursos de especialização tecnológica afirmando que não faz sentido a sua implementação, porque se dirigem ao mesmo público, embora com níveis diferentes  de formação e de saídas profissionais.

A DORCB do PCP considera essencial a aposta e a defesa das instituições de ensino superior no Distrito, quer no plano do conhecimento e investigação, quer no plano de desenvolvimento na e para a região. Por isso, continua a defender uma política de defesa da autonomia e do reforço do financiamento da UBI e do IPCB, garantindo a oferta de um ensino superior de qualidade e de investigação no distrito, enquadrada na necessidade geral de rutura com a política de destruição do Ensino Superior Publico propondo uma verdadeira, “aposta no conhecimento e na tecnologia como passos necessários para a superação dos problemas estruturais do país. Deste modo, é necessário que a rede funcione como uma verdadeira rede e não como um mapa de instituições isoladas em competição constante e predatória entre si.” Para o PCP é imprescindível que as instituições se articulem de modo a cumprirem efetivamente o seu papel na elevação da qualificação dos portugueses.

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Política. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *