Faleceu D. Adolfo Suárez, o Homem da transição em Espanha

A. Suarez e o Rei

ÚLTIMA HORA

 

Sereno como sempre

Em desenvolvimento

Notas de rodapé

. Suárez foi também um homem com coragem física pura. Um homem valente. Quando em 1981 houve a intentona militar que queria voltar ao franquismo e a Guarda Civil entrou no Parlamento com metralhadores e obrigou toda a gente a sentar-se, só três não se sentaram: o ministro da Defesa Gutierrez Mellado, Santiago Carrillo e Adolfo Suárez ( Mário Soares seu grande amigo).

. Quando Dom Juan Carlos, seu grande amigo o visitou em casa, já não o conheceu: Perguntou: Quem és?

O Rei respondeu… um teu grande amigo e, passearam juntos no jardim da sua casa;

. A morte da Esposa e o cancro da filha foram duros golpes em Adolfo Suarez;

. Espanha deu-lhe todo o reconhecimento e todo o tipo de prémios. Mereceu tudo.
…………
ESPANHA DE LUTO CERRADO
Adolfo Suarez, figura incontornável da Democracia em Espanha, faleceu este domingo.
 Tinha 43 anos em 1976 quando o Rei Dom Juan Carlos o chamou para a dura tarefa da transição pós ditadura de Franco. Desconhecido da maioria do Povo espanhol, era próximo de Dom Juan Carlos.

Licenciado em Direito, aceitou a dura tarefa e brilhou ao mais alto nível, vindo a ser eleito em Eleições em 1977 e posteriormente em 1979 liderando uma coligação de Centro-Direita.

Mas tarde, em 1981, defrontou outro “monstro” da política espanhola e europeia, Filipe Gonzales e perdeu, retirando-se da política como as boas normas recomendam.

Era um amigo de Portugal, e muito respeitado por todos em Espanha.

PF

Tranquilidade na derrota, missão cumprida.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma Resposta a Faleceu D. Adolfo Suárez, o Homem da transição em Espanha

  1. Poucos Homens me impressionaram tanto. Vindo do Franquismo, apoiou sempre o futuro Rei e a Democracia. Liderou a RTVE e depois foi chamado pelo Rei a desenpenhar a alta missão de colocar a Espanha na Democracia. Mais importante ainda é o facto de não ser Monárquico. D. Adolfo Suárez era Repúblicano. Tejero de Molina quando invadiu o Parlamento em Espanha, pensava contar com o seu apoio e o do Rei, mas ambos queriam a Democracia. Conviveu com Dolores Ibarruri, com Santiago Carrilho ambos Comunistas e teve uma relação priveligiada com Filipe Ganzalez do PSOE. Aliás as fotos da época são reveladoras da amizade.
    Homem normal, fumava e gostava de toiros, tem um lugar na História de Espanha assegurado. Aliás, a Espanha, nunca o esqueceu e a intervenção de Rubalcaba do PSOE é disso reveladora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *