Banco Alimentar inicia atividade em Castelo Branco

VAI APOIAR CINCO CONCELHOS

Isabel Jonet

O Banco Alimentar Contra a Fome iniciou atividade em Castelo Branco e vai prestar apoio a cinco concelhos do distrito, onde já são apoiadas 16 instituições de solidariedade que entregam alimentos a 1.200 pessoas, segundo noticiou a Lusa.

A presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares disse que “tem-se assistido a um aumento do pedido das instituições [de Castelo Branco], sobretudo, devido ao aumento do desemprego e ao sobre-endividamento das pessoas“.

Isabel Jonet explicou que o Banco Alimentar Contra a Fome surge em Castelo Branco a partir de uma associação de solidariedade alimentar, a Repartir, que vai funcionar “autonomamente e com entidade jurídica própria“.

A Repartir passa a ser Banco Alimentar Contra a Fome. É uma espécie de ‘franchising’. Já havia uma estrutura e um grupo de pessoas que têm um armazém na zona industrial de Castelo Branco, cedido pela autarquia“, referiu Isabel Jonet.

A presidente do Banco Alimentar sublinhou ainda que a Repartir desde há dois anos que é acompanhada pela Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, com apoio do Banco Alimentar de Abrantes.

Isabel Jonet

Porém, esta situação não era de todo prática, uma vez que “a cidade de Abrantes fica a mais de 80 quilómetros de Castelo Branco, o que acabava por dificultar a vida às instituições de solidariedade que ali se deslocavam e além disso, existem os custos das deslocações, sobretudo, por autoestrada“.

Isabel Jonet deixou um apelo à sociedade civil de Castelo Branco, sem a qual “não é possível ao Banco Alimentar trabalhar” e sublinhou a “necessidade de voluntários, que são a base desse trabalho“.

Em Castelo Branco, estão 20 pessoas que regularmente trabalham no banco Alimentar, sendo que em épocas de campanhas esse número aumenta substancialmente.

O Banco Alimentar vai prestar apoio aos concelhos de Castelo Branco, Proença-a-Nova, Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão, junto de instituições de solidariedade social.

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Inclusão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *