INQUIETUDE: ” Milagre”, por José Lagiosa

Inquietude

Milagre…

Durante as últimas semanas temos assistido a uma das maiores campanhas de propaganda de que há memória na história da democracia portuguesa. Com efeito o governo, através dos seus mais variados ministros, tem levado a cabo uma estranha campanha de tem enchido os noticiários de imensas palavras como “milagre”, “viragem”, “sucesso”, “sinais” ou mesmo “nova era”.

É assim que tem construído uma nova narrativa, depois de, durante mais de dois anos, ter construído uma outra de desconstrução e aniquilamento dos governos de José Sócrates.

Tem razão assim, José António Seguro, quando o afirma e condena.

A. José Seguro

A repetição até à exaustão desta narrativa basta para que, mesmo os mais crentes comecem a acreditar, que o ciclo recessivo passou, que a economia recuperou e que o pior já lá vai.

Puro engano.

Da mesma forma que nem Sócrates deixou o País tão mal quanto o fazem querer parecer, também agora depois de dois anos de tremendos e inglórios esforços, a situação económica de Portugal se apresenta tão brilhante, num contexto macroeconómico, como nos querem fazer crer.

O que se passa é que uma mentira repetida vezes sem conta se torna uma verdade.

A isto chama-se marketing comunicacional.

E nisso este governo, ou os seus acólitos, pagos a peso de ouro, têm sido especialistas. Conseguem fazer passar uma mentira ou, no mínimo, uma meia verdade, como uma das mais transparentes verdades.

As críticas o governo consegue transformá-las em verdades. Com a cumplicidade de tantos outros portugueses que não conseguem desmontar este esquema comunicacional do poder instalado. Porque não querem ou porque não sabem. A começar pelos media.

Poucos desconstroem este discurso…o papel dos media sempre foi mais de repetir do que de desconstruir.

Todos os momentos são aproveitados pelos elementos do governo ou afetos a ele para espalhar a mensagem, errada, de que isto está a melhorar.

Todos os momentos e todas as oportunidades são bons, para fazer passar a mensagem errónea da melhoria que, só na cabeça de alguns, está a acontecer.

Vai ser assim até às eleições. Primeiro as europeias, depois as legislativas. Até lá, teremos uma farsa em relação à saída, seja com cautelar, seja “limpa”, do programa da troika. Entre 17 e 25 de maio, muitos argumentos se irão esgrimir entre a Rua de S. Caetano, o Largo do Caldas, o Largo do Rato, independentemente da festa que se possa armar, seja no Rossio, no Marquês ou em outro qualquer lugar do País. 

A. Pires de Lima

Será uma campanha até 2015. Provavelmente em “milagre” permanente.

Os portugueses que abram os olhos e não se deixem enganar ou iludir…

* José Lagiosa

INQUIETUDE é a coluna semanal publicada às 5ªas feiras

...milagre...

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *