Festival Literário de Castelo Branco – Dia 2

Depois do amor chegam as boas e más memórias

Entusiasmo

Ontem, dia 6 de fevereiro, a noite começou com a representação de uma adaptação do Manifesto anti-leitura de José Fanha, interpretada pelo grupo de teatro dos Alunos da Escola José Sanches de Alcains e S. Vicente da Beira.

Se na primeira sessão as conversas andaram à volta do amor, nesta segunda sessão noturna, do Festival Literário de Castelo Branco, dedicada ao tema Cabeça: Mudámos o chip, todos os caminhos coincidiram num ponto comum: as memórias. Memórias dos sentidos, memórias dos afetos, memórias dos sabores, ou como disse um dia Natália Correia sem memória não há pensamento.

Participante na sessão António Torrado, poeta e escritor de livros para crianças revisitou as memórias de infância quando passava as férias de Natal ou as férias grandes em Castelo Branco, em casa de suas tias, André Letria, ilustrador que faz ilustrações para o The New York Times, confessou não acreditar muito no digital e Fernando Dacosta, romancista e dramaturgo que aposta que se criarmos mais, seremos mais imaginativos.

Aliás com constantes provocações de Tito Couto, a conversa evoluiu à volta de uma certa dicotomia entre o perigo de perder a memória ou usar a memória para libertarmo-nos.

Este antagonismo é válido afinal, para a cultura como para outros campos da nossa vida coletiva.

“Há uma tentativa de destruir as nossas memórias e a dignidade das pessoas.

Dividir gerações e colocá-las umas contra as outras. Este é um caminho perigoso”, diria mesmo Fernando Dacosta numa abordagem que não deixou de ser um ato político. A cultura é, afinal, também isso. Afirma, para terminar “temos que começar a resistir”.

Hoje é dia de encerramento desta 2ª edição do Festival Literário de Castelo Branco.

Será no Cine -Teatro Avenida às 21h 30m, sob o lema Estômago: Desejo e engano no canto da boca.

Contará com a participação de Afonso Cruz, Daniel Oliveira e Fernando Paulouro.

Mais uma vez o moderador será Tito Couto.

* Com José Lagiosa

Cartaz

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *