Adufeiras de Idanha encerram exposição nos Jerónimos

“O MEU PAÍS ATRAVÉS DOS TEUS OLHOS”

Exposição nos Jerónimos encerra ao som das Adufeiras de Idanha

Foi um evento memorável que assinalou o termo de uma exposição que nasceu com o cordão umbilical ligado a Idanha-a-Nova e que esteve patente desde 19 de setembro no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), situado no Mosteiro dos Jerónimos.

Os tocares e cantares das Adufeiras do Rancho Etnográfico de Idanha-a-Nova ecoaram no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, no passado dia 10 de janeiro. O grupo participou como convidado especial no concerto de Ana Laíns que encerrou a exposição O Meu País Através dos Teus Olhos, de Cristina Rodrigues.

Com curadoria de Paulo Longo, a mostra foi constituída por seis instalações de arte contemporânea concebidas pela arquiteta e artista plástica Cristina Rodrigues, todas elas produzidas em Idanha-a-Nova com o apoio do Município e da população local.

Temáticas como o despovoamento e a desertificação no mundo rural, identidade cultural e sentido de comunidade das gentes que o habitam, e ainda a celebração do universo feminino são centrais no trabalho da artista, que homenageia ainda a obra de José Leite Vasconcelos, fundador do MNA.

Sediada em Manchester, no Reino Unido, onde é investigadora no MIRIAD, um centro de investigação da Manchester Metropolitan University, e pertence à Manchester School of Architecture, Cristina Rodrigues visita com frequência o concelho de Idanha-a-Nova.

Do trabalho etnográfico realizado junto daquela população raiana nasceu a inspiração para peças como a ‘Manta’ (feita de adufes), a ‘Capela’, a ‘Rainha’ (utiliza as tradicionais flores de papel de Aldeia de Santa Margarida) e as três instalações ‘Mouras’. Todas as peças reutilizam objetos obsoletos recolhidos no estaleiro do Município de Idanha-a-Nova e envolveram a comunidade local na sua construção.

Foi precisamente como símbolo cultural daquele concelho que subiram ao palco as Adufeiras de Idanha-a-Nova, convidadas especiais no concerto da cantora Ana Laíns, escolhida para encerrar a exposição pelos fortes traços de portugalidade presentes nas canções que interpreta.

Esta noite comemoramos Idanha, o adufe e a portugalidade”, disse Ana Laíns, que em 2014 comemora 15 anos de carreira, momentos antes de convidar as Adufeiras (e o cantor Filipe Faria) para uma atuação que arrebatou as cerca de 400 pessoas que lotaram por completo o auditório dos Jerónimos.

Presente no concerto, o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, sublinhou que o trabalho artístico de Cristina Rodrigues pede “um novo olhar sobre o mundo rural”, enquanto espaço de excelência patrimonial, cultural e de oportunidade para gente jovem e empreendedora.

O diretor do Museu Nacional de Arqueologia, António Carvalho, enalteceu o valor da exposição de Cristina Rodrigues e agradeceu o apoio do Município de Idanha-a-Nova na realização da mostra.

Encerrada esta exposição, Cristina Rodrigues vai continuar a levar até aos grandes centros urbanos a memória coletiva dos portugueses, em particular da população rural de Idanha-a-Nova.

A digressão mundial de exposições passa, em 2014, pelas cidades de Berlim (Alemanha), Bucareste (Roménia), Manchester (Inglaterra) e Praga (República Checa).

Cristina Rodrigues e Armindo Jacinto

A Manta

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *