Agregação de Freguesias, erro que urge resolver

Freguesias defendem reflexão para corrigir agregações “mal resolvidas”

A Associação Nacional das Freguesias (ANAFRE) defendeu hoje a necessidade de “uma reflexão profunda e atempada” para corrigir situações “mal resolvidas” de agregação de freguesias, nomeadamente a de uma autarquia “maior do que a ilha da Madeira”.

“A solução é corrigir o que está mal resolvido e não tem nenhuma fundamentação plausível.

Casos pontuais, nomeadamente os mais gritantes e que resultam da junção forçada de freguesias que não fazia sentido juntar, pela dimensão, especificidade e identidade”, afirmou à Lusa Armando Vieira, presidente do conselho diretivo da ANAFRE, à margem do Seminário “As Reformas da Administração Local” que termina hoje no Porto.

O abandono das populações

O nosso jornal sempre esteve empenhado em denunciar o que a nível nacional foi feito e, estamos de acordo que era necessário alterar as coisas.

Desde logo, era natural o encerramento das freguesias das sedes de concelho, sendo as populações apoiadas pelas câmaras municipais.

Aqui poderia ter sido feita alguma economia e adoptada uma medida racional. o que não faz sentido é deixar populações dependentes de serviços mínimos e, evidentemente, a prazo, mais terras abandonadas e populações indefesas.

Recolocar este problema é urgente e estamos de acordo com as medidas defendidas pela ANAFRE que cumpre o seu desígnio.

PF

Presidente da ANAFRE

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Autarquias, Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *