José Sócrates no Conselho Geral da Universidade da Beira Interior

O antigo primeiro-ministro José Sócrates vai ser o novo membro do conselho geral da Universidade da Beira Interior (UBI), anunciou hoje em comunicado aquela instituição de ensino superior da Covilhã.

Em declarações à Lusa, o presidente do conselho geral da UBI, Paquete de Oliveira, explicou que a proposta foi apresentada na última reunião daquele órgão (dia 06) e na sequência da saída do representante da Microsoft Portugal, José Fernandes, que irá deixar o país por motivos profissionais.

“A proposta do nome do engenheiro José Sócrates colectivizou-se e acabou por ter 15 proponentes. Na votação, dos 22 membros presentes, houve apenas um voto em branco”, especificou.

Paquete de Oliveira referiu ainda que a escolha do ex-primeiro ministro, que está intimamente ligado à Covilhã, se prende com os principais critérios de indicação de membros externos (cooptados) do conselho geral: a notoriedade e a relação com a região.

A proposta do engenheiro Sócrates enquadra as duas vertentes: por um lado porque, como se sabe, ele é dali e, por outro lado, pelo impacto público que ele tem. No fundo, é um filho da terra que é reconhecido em Portugal e no estrangeiro“, disse.

O presidente do conselho geral da UBI referiu ainda que a “intenção é a de que José Sócrates venha valorizar a instituição”.

José Sócrates já aceitou o convite e deverá tomar posse na próxima reunião do conselho geral, que se realizará entre Janeiro e Fevereiro de 2014.

Antes disso, no dia 17, José Sócrates estará na UBI para apresentar o livro do qual é autor: “A Confiança no Mundo: Sobre a Tortura em Democracia“. A sessão terá lugar no grande auditório da Faculdade de Ciências da Saúde, a partir das 17:30.

* Com a devida vénia a LUSA.

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Covilhã. ligação permanente.

Uma Resposta a José Sócrates no Conselho Geral da Universidade da Beira Interior

  1. A. Graça diz:

    A Universidade da Beira Interior era uma instituição de prestígio. Quanto aos motivos da nomeação, conclui-se que qualquer amarmitado filho da terra reúne condições para ocupar o lugar. O curso de engenheiro do sujeito ainda é algo envolto em sombras, e ficará por provar, dado o conveniente encerramento da universidade que lhe terá conferido o título. Cada país acaba por ter o que merece

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *