Freguesia de Castelo Branco (Beira Baixa) com Castelo Branco (Horta-Açôres)

Recriação das tradições de Castelo Branco (Açores) foi um enorme êxito

Procissão

A primeira iniciativa realizada após a assinatura do protocolo de geminação, assinado em 2012 entre as freguesias de Castelo Branco (Beira Baixa) e Castelo Branco (Horta, Faial, Açores) teve lugar no domingo com um programa com a recriação da procissão do Espírito Santo entre a Igreja com o mesmo nome e a Sé Co catedral de Castelo Branco.

O cortejo de Coroas do Divino Espírito Santo, liderado pelos foliões, foi seguido por um grande número de albicastrenses, uns por devoção, outros pela curiosidade em conhecer as tradições açorianas.

A procissão transpôs para as ruas da cidade beirã os quadros dos impérios da autarquia da ilha do Faial, no centro dos quais seguem as coroas, levadas pelas entidades, ou pelos irmãos do império, bem como os respetivos estandartes, com as insígnias de cada um deles.

Seguiu-se na Sé, a missa celebrada pelo pároco da Horta, padre Marco Carvalho, na qual foram coroadas todos aqueles que o desejaram e foram muitos, antecedendo um almoço típico do Espírito Santo, confecionado por cozinheiros açorianos.

Durante o almoço, o presidente da freguesia beirã de Castelo Branco, Jorge Neves, revelou-se “muito satisfeito” com este primeiro intercâmbio desde o acordo de geminação.

“Esta é uma geminação de segunda geração, portanto, não é apenas para os órgãos político-administrativos, mas também para a comunidade.

E esta iniciativa teve, sem dúvida, uma participação muito grande” da população, afirmou o autarca.

Por sua vez, o presidente da freguesia açoriana destacou a importância que o culto do Espírito Santo ainda tem nas ilhas do arquipélago, ao contrário do que acontece na Beira Baixa. “São realidades diferentes, mas face à avidez com que as pessoas receberam estas atividades, talvez se consiga despertar o culto aqui”, afirmou Luís Botelho.

Esta deslocação da comitiva açoriana da freguesia de Castelo Branco, composta por 30 pessoas das mais diversas áreas esteve alguns dias na cidade beirã de Castelo Branco, tendo participado num conjunto de atividades culturais, gastronómicas, para além da componente religiosa.

A autarquia liderada por Jorge Neves montou uma operação logística de grande envergadura, para o que é habitual na Beira Baixa, envolvendo dezenas de pessoas e inúmeros meios de forma a dar resposta à exigência do momento e a um acolhimento condigno à sua congénere açoriana.

* Com José Lagiosa em Castelo Branco

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Igreja católica. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *