Programa da Feira Quinhentista em Oleiros

Feira Quinhentista

Feira

De 31 de maio a 2 de junho, na Vila de Oleiros *

Programa

31 de maio, sexta-feira

20h00 – O Arauto lê a postura que decreta 3 dias de festa e Feira para comemorar os 500 anos do Foral de Oleiros, anunciando ao mesmo tempo a entrada régia nos dias seguintes.

21h00 – Banquete ao ar livre.

22h00 – Arraial, danças à desgarrada e espetáculo de malabares de fogo sobre o Milagre das Rosas. Danças Mouras.

1 de junho, sábado

14h00 – Abertura da Feira – Mercadores e artesãos iniciam as suas atividades.

15h00 – Cortejo Régio pelas ruas do burgo e Bênção da Feira pela entidade religiosa. Convocatória dos homens bons do concelho para a redação do Foral. Animação no terreiro – Danças Renascentistas. Apresentação de escudeiros de linhagem e adubamento de novos cavaleiros. Justa de cortesia entre os notáveis cavaleiros. Jogos tradicionais infantis.

16h00 – Colóquio sobre Foral Manuelino de Oleiros com palestra pelo dr. Leonel Azevedo (Auditório da Casa da Cultura de Oleiros).

17h00 – Torneio de Armas Apeado na Liça por amor de uma donzela desvalida.

18h00 – Visita do Almotacem e do Meirinho à Feira e aferição dos pesos e medidas nos tendeiros, almocreves e carroças de bufarinheiros.

20h00 – Um grupos de judeus sefarditas, recém-chegados de Espanha, apresentam-se a El-Rei e rogam-lhe proteção. Dois mouriscos suplicam ao Rei pelas suas vidas.

21h00 – Eucaristia.

22h00 – Rapto das freiras samaritanas por uma mesnada castelhana e o seu resgate pela milícia da Vila.

23h00 – Irrompem no terreiro saltimbancos e histriões. Ao som das gaitas de foles e dos pandeiros, baila o povo folgazão.

24h00 – Encerramento da Feira.

2 de junho, domingo

14h00 – Abertura do arraial e arruada pelas ruas do burgo. Visita do Meirinho e mesteirais. Comeres e beberes nas tabernas e casas de pasto.

15h00 – Cortejo Régio pelas ruas do burgo. Leitura e teatralização da carta de Foral.

17h00 – Torneio de Armas a Cavalo na Liça para adubamento de cavaleiros.

18h00 – Danças e folias com saltimbancos e menestréis.

20h00 – Jogos tradicionais e comeres e beberes nas locandas do mercado.

21h00 – Toque a rebate no terreiro. Ataque de uma horda de salteadores esfaimados. Julgamento e execução em praça pública dos salteadores capturados, seguindo-se um Auto de Fé de heréticos e contumazes.

22h00 – Encerramento da Feira.

*Evento integrado nas comemorações dos 500 anos do Foral Manuelino de Oleiros

Nota

Na noite de trinta e um de maio e dias um e dois de Junho, bem no coração do Pinhal, terá lugar uma recriação do ambiente histórico típico da época Renascentista. Mercadores, menesteres, cantadores e bailadores de rua, uma taverna bem aviada de comeres e beberagens e folias variadas, vão imprimir um cunho Quinhentista à calorosa e acolhedora vila de Oleiros.

Esta viagem ao passado insere-se no âmbito dos quinhentos anos do Foral Manuelino de Oleiros resulta de uma parceria entre a autarquia local, o Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade e a Companhia de Teatro Viv´Arte.

Recorde-se que o quingentésimo aniversário da atribuição do Foral Manuelino à Vila de Oleiros se celebra a 20 de outubro de 2013, pelo que desde 2011 que a autarquia local tem promovido um leque variado de acontecimentos que assinalam a efeméride. Um dos pontos altos desta programação é a Feira Quinhentista, um evento diferenciador que pretende retratar o séc. XVI, a chamada “era quinhentista”, marcada por diversos acontecimentos de incontornável importância, como a chegada a Portugal do Renascimento, os Descobrimentos, ou a nível local, o nascimento do Padre António de Andrade, ilustre Oleirense descobridor do Tibete.

* Apoio do gabinete de Comunicação da Câmara de Oleiros

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Oleiros. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *