Os 40 anos do Partido Socialista

Fundadores

Partido Socialista, 40 anos de luta

 

Foi no dia 19 de abril de 1973 que um grupo de socialistas, se reuniu na Alemanha, na cidade de Bad Münstereifel, para fundar o atual Partido Socialista.

A primeira organização partidária do movimento socialista em Portugal, foi criada, em 1875, por Azedo Gneco, Antero de Quental e José Fontana, entre outros, com a criação do Partido Socialista Português.

Com o golpe militar de 28 de maio de 1926 e a consequente ilegalização de partidos políticos, o movimento socialista, em Portugal, ficou órfão de estruturas organizadas.

Daí para a frente, tentativas houve, para estabelecer grupos organizados, mas sem êxito até que, em novembro de 1964, Mário Soares conjuntamente com Manuel Tito de Morais e Francisco Ramos da Costa fundaram, em Genebra, a Acção Socialista Portuguesa (A.S.P.), que viria a ser o embrião do Partido Socialista.

Mário Soares

Foi assim que militantes da A.S.P., idos de Portugal e de vários países e cidades como Londres, Paris, Genebra, Suécia, Argélia e Brasil se reuniram em Congresso da ASP e “ponderando os superiores interesses da Pátria, a actual estrutura e dimensão do movimento, as exigências concretas do presente e a necessidade de dinamizar os militantes para as grandes tarefas do futuro, deliberou transformar a A.S.P. em Partido Socialista”, o que foi aprovado por 20 votos a favor e 7 contra, dando origem ao atual Partido Socialista e que comemora o seu 40º aniversário precisamente daqui a dois dias, reunindo, os seus Secretários-Gerais, que felizmente se encontram todos vivos, sendo que tive o privilégio de os ter conhecido pessoalmente ao longo de todos estes anos.

Comemora-se neste dia, mais que um simples aniversário. Comemora-se uma luta persistente e constante pelas Liberdades e pelo bem-estar dos portugueses. Foi assim até Abril de 74, foi assim no verão quente de 75 e tem sido assim sempre que está em perigo algum destes desígnios. É assim, também, nos tempos amargurados e difíceis que vivemos.

António J. Seguro

Agora, como sempre, os portugueses podem contar com o Partido Socialista. Em nome de todos aqueles, e não me esqueço dos que já partiram, como Manuel Tito de Morais, Salgado Zenha, Jorge Campinos, Raul Rêgo, António Macedo, Vasco da Gama Fernandes, Albano Pina, Júlio Montalvão Machado e tantos outros que fundaram o PS, reafirmo aqui os compromissos do partido que continuam a ser os mesmos, a defesa da Liberdade, da Solidariedade e da Fraternidade!

* Com José Lagiosa

 

 

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Opinião, Política com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *