2403 novos desempregados por dia em janeiro

“Flagelo pessoal e familiar.”

A cara do desânimo

Foi desta forma que o ministro das Finanças classificou ontem, na apresentação dos resultados da sétima avaliação regular do programa de ajustamento, a elevada taxa de desemprego em Portugal. “Números dramáticos”, nas palavras do Presidente da República, no dia em que o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) revela as estatísticas de Janeiro.

No final do primeiro mês do ano, estavam inscritos 740 062 desempregados nos centros de empregos do Continente e das Regiões Autónomas. Um número que representa um crescimento de 16,1%, ou mais 102 400 inscritos face a Janeiro de 2012.

. Portugal afunda

. Declarações de Vitor Gaspar criam pânico

. Dados do desemprego real são omitidos

De acordo com as estatísticas do IEFP, “ao longo do mês de Janeiro, inscreveram-se nos centros de emprego do Continente e das Regiões Autónomas, 74 521 desempregados”, mais 37,5% face a Dezembro. Ou seja, o IEFP registou, em média, 2403 desempregados por dia, no mês em que entraram em vigor novas medidas de austeridade, como o “enorme aumentos de impostos”, como caracterizou Vítor Gaspar.

Do número global de 740 062, quase 307 mil está numa situação de desemprego de longa duração, inscritos há um ano ou mais nos centros de emprego e formação profissional.

Se os números globais são alarmantes, a análise por segmentos apresenta uma nova dimensão do problema. O número de casais em que ambos estavam desempregados disparou 89% para 12 987 nos últimos 12 meses. Os desempregados casados ou a viver em união de facto pesam 49% no total de registados no IEFP.

O acréscimo no desemprego foi sentido em ambos os géneros. Destacam-se, no entanto, os jovens desempregados com um aumento anual de 17,7%, superior ao ocorrido nos segmentos dos adultos, mais 15,8%.

No total, os jovens (idade inferior a 25 anos) pesam 12,6% na estrutura do desemprego. São mais de 93 220 registados no IEFP. Ontem, Vítor Gaspar afirmou que o desemprego jovem “é um desperdício de elevado capital humano, traduzindo-se num choque para a sociedade.

O grupo etário entre os 35 anos e os 54 anos tem a maior dimensão, quase 350 500 desempregados, correspondentes a 47,4% do total de registados nos centros de emprego.

Analisando a dimensão regional, a Madeira, Alentejo e Açores lideram o aumento do desemprego. já no que respeita às profissões os dados apurados pelo IEFP destacam, como mais representativas, o pessoal dos serviços, de protecção e segurança, trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio e operários e trabalhadores da indústria extractiva e da construção civil. Contudo, registaram maior crescimento anual os quadros superiores da administração pública, docentes do ensino secundário, superior e profissões similares e os especialistas das ciências físicas, matemáticas e engenharias.

De acordo com as novas previsões do governo, o desemprego pode chegar aos 19% este ano, mais 2,1 pontos percentuais face a 2012, o que se traduz no número oficial de mais de um milhão de portugueses desempregados.

Revolta alastra

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Desemprego, Destaques, Economia. ligação permanente.

Uma Resposta a 2403 novos desempregados por dia em janeiro

  1. Joaquim Vitorino diz:

    De onde quer que tenham vindo, porque aqui eram desconhecidos; os Srs. Vitor Gaspar e Alvaro Pereira, devem regressar; para que Portugal possa continuar. Já agora, levem um coelho na bagagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *