EDITORIAL: Um “ajustamento” indecoroso

Paulino Fernandes

EDITORIAL

“Ajustamento” indecoroso

A situação que se vive em Portugal é demasiado grave para que sejamos contidos. Importa não alijar responsabilidades e ser claro.

Como é possível?

Apesar dos custos do trabalho em Portugal terem caído 14,9% no último trimestre de 2012, com alterações nas suas componentes de (-) 16% no custo da hora de trabalho e de (-) 13% nos custos não salariais (Segurança social), o desemprego atinge números inimagináveis de         1 183 000 desempregados,  923 000 desempregados, mais 260 000 inactivos disponíveis e os 121 000 inactivos desencorajados) (*) e apenas 300 000 deste total recebem subsídio de desemprego.

(*) Termo adocicado correspondente a gerações e famílias destruídas.

Atingimos os 22% de desemprego “oficioso” que não inclui evidentemente os 120 000 que já emigraram. Com estes, a percentagem seria ainda superior…

O destruição de emprego pós-crise (após 2008) atingiu o número de 650 000 pessoas, sendo que só nos últimos dois anos anos se destruiu 250 000 postos de trabalho e, 125 000 só no último trimestre de 2012, ou seja  1350 desempregados/dia.

Como estarão a viver estes portugueses? Que se passa com esta parte da nossa Pátria?

Envergonhamo-nos de citar o actual primeiro-Ministro, impreparado, insensível, o que diz não faz sentido…Diz que está tudo em linha…que era expectável…e os portugueses Senhor Primeiro-Ministro? Perguntamos nós.

O “flop” António Costa

António Costa

O Homem que confundiu o Partido com o País, teve a resposta adequada. O partido ignorou as suas acções. António José Seguro, dominador do aparelho, ignora-o nas conclusões do “Documento de Coimbra” e chega mais forte ao Congresso onde estaremos como jornalistas.

Uma terceira via necessária

João Tiago Silveira vai aparecendo de vez em quando. Ex- Secretário de Estado, bem preparado, ex-próximo de António Costa até o acusar de ninguém ter percebido o que se passou no PS”, vai trabalhando numa 3ª via, absolutamente necessária. Membro da Comissão Política Nacional do PS, vai trabalhando com universitários, independentes, ex-Ministros…liderando, no fundo. E o país e o Seu Partido bem precisam de gente que se preocupe, que não deixe passar o tempo, porque o tempo urge e, mais tarde, pode ser demasiadamente tarde.

Director

email: jornaldeoleiros@sapo.pt

 
 
 
 

Não ao acôrdo

João Tiago Silveira

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Editorial. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *