É assim…, por Soraia Tomaz

Soraia Tomaz

É assim…

Entraste de mansinho e sem eu me aperceber. Aquele entrar era, simplesmente, característico. A carteira do fundo era o teu lugar cativo. Ao lado estava eu. De todas as vezes ouvia uma voz, uma bonita voz, que cantava como um “pássaro livre que voa sem fim, porque é que a vida nos trama? Quando alguém se ama”, era o que me chegava. Devagarinho, começaste a dar o ar da tua graça. E mal ou bem, conquistaste-me a todos os níveis; a vida é feita de sabores e dissabores. De amores e desamores. Assim como de contratempos e conflitos que nos levam a agir de determinada forma, porque aparentemente é o jeito correto. Talvez esta seja a razão para ninguém nos entender. Para ninguém entender o que passamos. O que aguentamos e tudo o que fizemos um pelo outro. Aquele fanatismo todo pelo Salazar e pela “raça superior” ainda agora me faz sorrir. E irritar! A inteligência e o poder de argumentação assentam-te que nem uma luva. A secundária da sertã foi e continuará a ser sempre o palco principal do espetáculo. Da partilha, da experiência e das palavras de amor. Aquele sofá da biblioteca será sempre o teu e o nosso lugar. O mesmo digo dos corredores. E até das piscinas posso falar. Dizem que recordar é viver, mas isto das frases feitas tem muito que se lhe diga… não posso encarar as coisas como um “adeus”, mas sim como um “até já” e como um “trago-te, mais que nunca, no meu coração”. A diferença agora é que apesar de tarde assumo-o sem pensar duas vezes. Mas se assumisse antes, a nossa história não seria a mesma, nem teria tido a mesma graça. Olha por mim, meu anjo!

* Soraia Tomaz, Colaborador do Jornal de Oleiros desde a 1ª hora e ex- Correspondente na Turquia.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *