Editorial, Mais longe, mais além, por Oleiros, por Portugal

Director

EDITORIAL

Iniciámos o novo ano com decisão reforçada.

Rompemos fronteiras.

Levamos OLEIROS a todo o mundo.

Estamos em todos os Continentes e em vários países desses continentes.

Sentimos orgulho em quem nos acompanha. Pessoas que romperam fronteiras, rasgaram novos horizontes, abriram a mente.

Cultivaram-se, cresceram, não suportam caciquismos.

São independentes, não dependem. Não dependemos.

O nosso propósito de rasgar horizontes, foi conseguido, vai ser ampliado. Estamos a apoiar a região até em exportações de produtos para o mundo no que consideramos “serviço público“.

Agora é tarde para meia dúzia de mentes obtusas, saudosas de tempos passados, de poderes artificiais, influirem no futuro.

É demasiadamente tarde.

Não adianta usar estratagemas gastos, ameaças veladas, é tarde.

A direcção deste jornal não teme. É frontal, livre.

O caminho do futuro será o mesmo, mas mais ampliado, mais forte ainda, não para enervar os “velhos do Restelo” pouco contam, mas, para levar OLEIROS mais longe.

Sempre mais longe.

Director

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Álvaro, Amieira, Belmonte, Cambas, Castelo Branco, Comunidades, Covilhã, Destaques, Editorial, Educação, Estreito, Fundão, Idanha-a-Nova, Inclusão, Isna, Madeirã, Mosteiro, Oleiros, Opinião, Orvalho, Penamacor, Política, Proença-a-Nova, Sarnadas de São Simão, Sertã, Sobral, Vila de Rei, Vila Velha de Ródão, Vilar Barroco. ligação permanente.

4 Respostas a Editorial, Mais longe, mais além, por Oleiros, por Portugal

  1. Joaquim Vitorino diz:

    Será uma iniciativa de vulto; o Jornal de Oleiros, ter um papel preponderante, na divulgação desta vasta área do território português, e ajudar a promover as potencialidades que aqui existem, em especial no setor do turismo, que foi muitos anos a minha atividade, e que estou disponível, a dar algum contributo, se me for solicitado. Será na Hotelaria e Turismo, a grande esperança na recuperação do país, quando este se livrar do euro. Em breve terão oportunidade, de ler neste Jornal, um artigo de minha autoria, que trata deste tema.

  2. Carlos Fernandes diz:

    “Quando os lobos uivam ”
    Para nós serranos,é sempre opressão, ainda que se não proteste, ainda que não saibamos exprimi-la .Nós somos bárbaros, mas bárbaros sem trela .Temos muito dos lobos que, mesmo nas selvas plantadas a cordel, não aprenderam a moderar os instintos da sua braveza –
    Até sempre Aquilino !!!
    Bem haja director por tão bem representar a voz daqueles, que perderam o píu há muito !

  3. Ana Silva diz:

    “Os cães a ladrar e a caravana a passar”, não se pode dar importancia a ditos proferidos por mentes retrógadas com pontas de inveja!Uivaram com pouca força pois o jornal não caiu!Não ligue Sr. Diretor meios pequenos ás vezes têm tudo pequeno menos a lingua é normal. Continue sempre a prestar este tão belo serviço publico a que nos habituou com todo o seu gosto e profissionalismo o Jornal irá crescer cada vez mais :)Cumprimentos a todos os que ajudam o Jornal a crescer e principalmente ao seu DIRETOR

  4. António Graça diz:

    A frontalidade e a independência, das quais são interpretes os colaboradores, sob a liderança incansável e indiscutível do Director, são os principais activos do jornal, que devemos preservar, imunemente às vozes que, quase nunca pelos melhores motivos, procuram minimizar o trabalho feito.
    Cumprimentos para todos.
    António Graça

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *