Idanha-a-Nova pode voltar a produzir tabaco

ESTUDO JÁ FOI PEDIDO PELA AUTARQUIA

Plantação

Retorno do cultivo do tabaco analisado em Idanha-a-Nova

O tabaco pode estar de volta à campina do Ladoeiro. Álvaro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, anunciou que mandou fazer um estudo, para aferir da viabilidade de voltar a ser plantado tabaco na região. Este estudo foi solicitado em virtude dos pedidos formulados por um grupo de agricultores que têm vindo a ser convidados a retomar o cultivo do tabaco, numa zona que foi durante anos rainha da produção desta planta.

Este pedido surge depois de vários convites de um industrial que pretende construir uma fábrica de processamento de tabaco necessitando portanto de matéria-prima.

Secagem

 “Os agricultores estão decididos a aceitar o desafio”, afirmou o autarca pelo que o trabalho está em curso e deverá estar concluído no segundo trimestre deste ano.

A ajuda direta à produção de tabaco cessou em 2009 em Portugal e sem este apoio, proveniente exclusivamente de fundos comunitários, a cultura tornou-se incomportável face aos elevados custos com mão-de-obra e energia usada no aquecimento das centrais de cura – onde é feita a secagem da folha de tabaco.

“Nós usávamos centros de cura individuais, mas se houver um centro de cura coletivo, com novas tecnologias e conhecimentos ao nível da energia, o cenário pode tornar-se rentável”, afirmou Álvaro Rocha.

O autarca idanhense, refere ainda que, “em Espanha há agricultores que nunca deixaram de fazer tabaco, mas juntam-se em cooperativas, baixando os custos de produção e tornando possível a cultura”.

Com o estudo pretende-se avaliar se, procedendo da mesma forma, há viabilidade ou não em Idanha-a-Nova.

Apesar de acreditar que sim, Álvaro Rocha, só admite retirar conclusões após a conclusão do estudo agora encomendado, que irá estudar ainda vários aspetos da mecanização da cultura.

* Com José Lagiosa

...o cigarro

 

 

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Autarquias, Castelo Branco, Comunidades, Desemprego, Economia, Idanha-a-Nova com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *