José Marques mantém combate pela Steiff em Oleiros

Novo proprietário pode ser salvação da Steiff

Está em cima da mesa “um plano B” que passa pela formação de uma nova empresa liderada pelo atual gestor português da unidade instalada há vários anos, em Oleiros.

Tudo é possível. O futuro pode ser decidido nos próximos dias.

A solução parece ser possível e garantir assim a laboração da unidade da empresa alemã Steiff, anunciaram elementos da empresa em reunião com membros do executivo municipal.

Segundo José Marques, presidente da Câmara de Oleiros, nesse plano “B” a Steiff compromete-se a fornecer matéria-prima e comprar a produção da fábrica durante, pelo menos dois anos, a preços competitivos.

Ainda de acordo com José Marques, a empresa alemã esperará por uma decisão durante os próximos quinze dias, sendo que estão a decorrer reuniões entre funcionários e a administração da unidade fabril para analisar o assunto.

* Com José Lagiosa

Steiff

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Autarquias, Castelo Branco, Desemprego, Destaques, Economia, Oleiros, Política com as tags . ligação permanente.

3 Respostas a José Marques mantém combate pela Steiff em Oleiros

  1. Joaquim Vitorino diz:

    Fico muito satisfeito com esta notícia, este Jornal, e o seu Diretor Paulino Fernandes; e eu próprio, colaborador do Jornal, temos dedicado ao caso Steiff, toda a atenção que merece; o Jornal de Oleiros, disparou em todas as direções, no sentido de sensibilizar, quem tem o poder decisório, para que a Fábrica da Steiff, se mantenha em Oleiros; quando da recente visita da Sra. Merkel a Lisboa, o poder máximo do país e da união Europeia, já estava ao conhecimento do caso Steiff; Paulino Fernandes fez tudo ao seu alcance, para que a Steiff se mantenha em Oleiros; utilizando a sua única arma que é, a arquitetura da sua palavra. Feliz Natal, para todos Oleirenses. J. Vitorino

  2. anonimo diz:

    Que plano B é esse?ficarem os trabalhadores sem a sua indmenização!e sem subsidio de desemprego!

  3. \ A tragédia da agonia \
    É pior a emenda que o soneto, antes demais urge esclarecer os contribuintes sobre mais esta parceria pública privada, mais do mesmo, os custos para o público os lucros para o privado,Gostávamos de saber quais os encargos e benesses até agora dados, em vez de falarmos em ganância etc (negócio).
    Não vale tudo !! para limpar a pele e sair como herói , temos um plano B , que daqui a 3 nos esgota-se senão for antes, e os trabalhadores saíem com as mãos abanar, não . não vale tudo !!!.Que se crie uma marca , que se construa uma nona empresa , que se pague as indmenizações devidas , e se contratem novos trabalhadores , tendo os da empresa anterior prioridade na contratação, isto sim é transparência , e equidade .
    Deixemo-nos planos tipo tangas e armadilhas sejamos honestos e responsáveis dos actos que praticamos .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *