Naturtejo reuniu empresários em Idanha

Naturtejo em Idanha

Encontro de Empresários de Geoparques em Idanha-a-Nova

A Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova recebeu o Encontro de Empresários da Andaluzia e do Geopark Naturtejo. Este Encontro moderado pela directora da escola Ana Rita Garcia teve como objectivo aproximar comercialmente estas duas regiões de Espanha e Portugal que têm apostado ao longo dos últimos anos na valorização do seu património natural, em particular as áreas de importância geológica internacional classificadas como geoparques sob os aupícios da UNESCO. Os sectores turístico e agro-alimentar têm uma importância crescente nas duas regiões e importa partilhar experiências e facilitar a comunicação entre empresários para potenciar oportunidades de investimento nos dois países. A importância da cooperação económica entre Portugal e Espanha foi justamente explicada por Alberto Umbelino Gonçalves da Câmara Hispano-Portuguesa de Comércio. “É necessário reinvidicar junto da União Europeia a posição dos dois países como referenciais históricos, culturais e linguísticos para as relações comerciais entre a Europa, África e América Latina” afirmou o responsável perante uma plateia de mais de 40 empresários oriundos de diversas regiões da Andaluzia, em particular do Geoparque de Cabo de Gata-Níjar, em Almeria, assim como dos municípios que constituem o Geopark Naturtejo. Já Armindo Jacinto, Presidente do Conselho de Administração da Naturtejo, na sua apresentação sobre geoparques como destino turístico potenciador de negócios reforçou a necessidade da organização do tecido empresarial local, do reforço da cooperação entre os vários sectores de actividade e da inovação ao nível dos produtos de qualidade, tendo António Jóia apresentado o exemplo do projecto Amo-Produto Local. Os Geoprodutos são uma forma de certificação dos produtos e serviços do Geopark Naturtejo que aliam a tradição e a qualidade à inovação ao nível da comunicação com o consumidor, apostando em estratégias de marketing em linha com a valorização do Património Geológico e dos demais valores que constituem um geoparque. Também a importância da marca Parque Natural da Andaluzia foi demonstrada por Fernando Alonso Martín, Presidente da Federação das Empresas com Marca Parque Natural da Andaluzia, que gere os altos níveis de qualidade exigidos às empresas associadas que uma marca certificadora deve possuir. A criação e valorização destes produtos de qualidade, conjuntamente com a diversificação da oferta turística no destino Geopark Naturtejo foram muito reforçados na segunda apresentação de Armindo Jacinto, que deu ainda os exemplos dos projectos da Incubadora de Empresas de Base Rural e do “Não Emigres…”, como meios para combater o decréscimo de habitantes através da dinamização da economia local, da valorização do empreendedor local e da atracção de jovens empreendedores, empresários e negócios para a região.

Na sessão de Geoparques, Áreas Naturais e Turismo de Natureza houve um intercâmbio muito activo entre exemplos vindos das duas regiões de Portugal e Espanha. Destaque para o exemplo da Incentivos Outdoor ao nível da animação turística em Vila Velha de Ródão, como uma grande diversidade de oferta de qualidade nos seus serviços e com as parcerias. Nuno Coelho, gerente desta empresa, apresentou como resultados mais de 20000 clientes no ano passado e uma nova parceria com a CP que torna a Linha da Beira Baixa actualmente a mais lucrativa para esta empresa. Sandra Oliveira, directora operacional da Ô Hotels & Resorts fez uma clara demonstração da estratégia de parceria com o Geopark Naturtejo para as Termas de Monfortinho, em torno da excelência das águas termais e da oferta de bem-estar, mas também do turismo activo. No que compete ao artesanato, o empresário Felix García Cuenca demonstrou os mecanismos de internacionalização da sua arte. No que diz respeito ao exemplo português, João Ludgero apresentou a sua visão de negócio familiar em torno do artesanato e alojamento local, mas que leva a Quinta dos Trevos do Ladoeiro a ser reconhecida muito para além desta região. Mas os desafios dos tempos presentes para os pequenos e médios empresários não foram esquecidos e é através de uma visita de três dias que os representantes andaluzes irão conhecer em primeira mão formas exemplares de gerar e gerir negócios no Geopark Naturtejo, aproximando-os ao potencial e às boas práticas estruturadas neste território certificado internacionalmente pela UNESCO.

Naturtejo em Idanha

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Autarquias, Castelo Branco, Destaques, Economia, Idanha-a-Nova com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *