” De olho na educação”, por Manuela Marques

De “Olho” na Educação

 Vamos ao Banco Trocar o Manual?

      E porque vamos iniciar mais um ano letivo, calha bem abordar esta matéria que aflige tantas famílias portuguesas nesta altura. Em diversos pontos do nosso país já existem bancos de troca de manuais escolares. Uma iniciativa que pretende, para além de ajudar famílias mais carenciadas, incentivar um comportamento ecológico e uma atitude cívica de respeito pelo bem comum, pela partilha, estimular atitudes de responsabilidade sem “rotular” os mais desfavorecidos. São mais de cem, estes ditos bancos de troca e a mesma faz-se de formas muito variadas: ou numa feira, numa loja, ou num café, num parque e mesmo em escolas, e parece que tem vindo a aumentar significativamente desde o ano transato (segundo um dos seus principais impulsionadores Henrique Trigueiros Cunha – explicador de Matemática em Centro de Estudos- http://facebook.com/henriquecunha). Aumenta o número de interessados nesta atividade e não somente as famílias mais desfavorecidas, pois existem pontos de recolha e entrega destes manuais que agora no início do ano são procurados pelas famílias que vivem num país a braços com uma grave crise económica que afeta as suas carteiras já tão magras no momento em que olham para os preços exorbitantes daqueles instrumentos de trabalho de professores e alunos.

Manuela Marques

            Obviamente que este tipo de gesto de entrega de manuais escolares e recolha dos mesmos implica determinadas atitudes, quer por parte dos utilizadores, quer por parte daqueles que os pagaram, já que, e ainda bem, muitas pessoas pensam que mais vale entregar aquele manual para reutilização (e cá está o pensamento ecológico), em bom estado de conservação (e cá está a responsabilidade e a atitude cívica) do que enviá-lo para o papelão ou mesmo para o lixo como em muitos casos. Ora, isto sim, é ser empreendedor, é pensar com inteligência, é começar a mudar mentalidades que inúmeras vezes só a crise financeira e as dificuldades que ela acarreta obrigam a pôr em prática (do mal, o menos…). Claro que não se pode esquecer que tudo isto parte de um voluntarismo eficiente que está na retaguarda destes movimentos, mas oxalá este possa crescer enormemente, como é a tendência da modernidade, no que toca a “novos movimentos” e possa acabar com lobbies editoriais. O governo deveria aprender a não desperdiçar recursos ano após ano, em vez de “mexer”, constantemente, tarde e a más horas, nos bolsos dos portugueses na tentativa de solucionar uma coisa que não tem fim à vista…

            Voltando à escola, seja qual for a motivação de iniciativas que propendem sobretudo para provar que somos todos capazes de políticas e ações empreendedoras que se proponham mostrar aos “comandantes deste barco à deriva”, que ele pode afundar, mas há gente muito bem-intencionada, preocupada com o futuro da nação, dos filhos e que sabe muito bem dar lições de como se pode poupar e viver melhor, então tenho fé nessas pessoas do meu país e parabenizo, juntando-me a esta causa. Como professora sei bem aquilo que se passa nas escolas quando temos de selecionar manuais escolares. Embora o período de vigência dos manuais seja de seis anos, analisar e selecionar um manual escolar é uma autêntica dor de cabeça a que nos obriga o Ministério da Educação e Ciência com inúmeros papéis para fazer a avaliação científica e pedagógica do dito instrumento.

            Ou bem que se mudam os tempos e as vontades, mas sobretudo as políticas de atuação ou vamos nós, pais, professores e demais interessados, tomar as rédeas destas questões tão pertinentes nos dias que correm. Alguém já começou e já vai em cem, não deixemos de criar bancos, vamos cooperar.

                                                                                                              

A professora Manuela Marques

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Economia, Oleiros. ligação permanente.

2 Respostas a ” De olho na educação”, por Manuela Marques

  1. Henrique Trigueiros Cunha diz:

    Muito agradeço a V/ publicação do texto referente ao movimento pela reutilização dos livros escolares.
    A promoção desta ideia é uma enorme ajuda para que mais bancos abram por todo o País e assim topos os Portugueses tenham o direito de Reutilizar os seus livros escolares!
    Agradeço também à autora do texto as amáveis palavras que nos dirigiu!
    O movimento somos todos nós!
    Cumprimentos,
    Henrique Trigueiros Cunha

  2. Manuela Marques diz:

    Agradeço o seu comentário à nossa publicação e parabenizo mais uma vez a iniciativa da reutilização dos manuais escolares. Sem dúvida que a nossa intenção é divulgar e levar mais portugueses a apoiarem essa mesma causa que beneficiará a todos.
    Muito obrigada,
    Manuela Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *