” Crónicas da Turquia”, por Saraia Tomaz

Turquia.

Turquia

A Turquia é um país maravilhoso. Infelizmente, grande parte dos Ocidentais têm uma ideia errada não só do país em questão, mas também do povo e/ou cultura muçulmana.

Foi em Janeiro, dia 28 de 2012, que esta nova etapa começou.  

Ao contrário do que se vai ouvindo pelas terras da “Ocidental Praia Lusitana”, a Turquia é um país bastante desenvolvido.

Amigos do JO na Turquia

O aborto é legal há trinta anos,  a prostituição é legal e as prostitutas têm casas próprias, sendo escusado ver a promiscuidade constantemente na estrada e a mulher já não é obrigada a usar burca ou tão pouco a submeter-se às vontades do próprio pai, no que diz respeito ao futuro marido.

Quando chegámos, eu e uma amiga minha, depois de oito horas de viagem, carregadas com vinte cinco quilos, frio, chuva e neve que nos cobria o rosto, o cabelo e a roupa, o nosso pensamento foi “só me apetece desistir, estou cansada da viagem e não estou a aguentar o corpo”.

Assim que chegámos a Serdivan, uma vila dentro de Sakarya, descobrimos, de imediato, pessoas super prestáveis. Nenhum(a) turco(a) nos olhou com desdém, nos fez sentir mal ou foi menos simpático(a). Chegámos, tínhamos pessoas à nossa espera, deram-nos comida, bebemos o nosso primeiro çay (chá) ou turkish coffee, mostraram-nos casas, confiaram-nos dinheiro, ofereceram-nos três refeições num café/restaurante. E, desde então, sempre que vamos a esse cafézinho, bebemos o típico “çay” e os trabalhadores e clientes do “Mitoloji” (é este o nome) não nos tratam pior que no principio. Sentamo-nos a jogar Tavla, como o Gamão, horas a fio.

Ficamos felizes sempre que saímos de lá: os nossos olhos e o nosso rosto ganham uma nova expressão. No geral, os turcos fazem um esforço para falar connosco, embora muitos deles não falem inglês, apenas turco.

Assim, chamam amigos que falem inglês, para serem os tradutores. Quando precisamos falamos por gestos ou vice-versa. Quando queremos uma informação, ajudam-nos, ligam para alguém. Esforçam-se para que nos sintamos em casa. Gostam dos portugueses e sempre que falam connosco dizem “Quaresma”, “Cristiano Ronaldo”, “Hugo Almedida”; Os professores na Universidade são bastante acessíveis. As aulas são diferentes. Bebemos çay, café ou água com eles. Depois das aulas vamos para uma das cafetarias com um dos professores.

E não é por isso que os alunos não lhes têm respeito. Estamos na recta final e muito mais há por contar. Apenas vos deixo isto, para tentar mostrar que a Turquia é um país organizado e bom de se viver, assim como que é um país maravilhoso para visitar.

Próximo capítulo em breve,

* Soraia Tomaz

Correspondente na Turquia

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Comunidades, Destaques, Economia, Oleiros. ligação permanente.

Uma Resposta a ” Crónicas da Turquia”, por Saraia Tomaz

  1. paula mateus diz:

    Estive na Turquia de ferias em agosto do ano passado, confirmo o que acabo de ler e recomendo ferias neste pais de vestigios civilizacionais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *