“Vamos lá fora e falamos “, por Carlos Fernandes

“Vamos lá fora e falamos”

Carlos Fernandes

No seguimento da aprovação da proposta do Bloco de Esquerda, relativa ao inquérito às parcerias público-privadas (PPP) é já amanha que se inicia o mesmo, sendo este muito mais amplo do que inicialmente se previa nomeadamente pelos partidos do governo, abrangendo não só as parcerias rodoviárias mas também as ferroviárias.

Sem qualquer dúvida, mais um inquérito inflamado se aproxima, mais um lavar de roupa suja, enfim mais do mesmo, e tudo na mesma como a lesma, medidas sérias para combater a exclusão a precariedade e elevar a qualidade de vida do nosso povo nem vê-las….

Todavia desta vez o alvo a abater tem um nome, o Ex Secretário de Estado Paulo Campos, acusado de negociações ruinosas para o Estado.

Partindo do principio sagrado, que todos mas todos, temos o direito de defender a nossa honra, o nosso bom nome, e no caso referido quem, melhor conhece os dossiês, e possui maior documentação será Paulo Campos não me é fácil entender o embaraço dos actuais dirigentes partido Socialista,,e muito menos perceber, o não quererem a sua presença na comissão de inquérito, com a ténue argumentação de evitarem ajustes de contas, caros amigos como diz o povo “Quem não se sente não é filho de boa gente”.

Sem querer tomar partido seja de quem for, parece-me justo afirmar que na nossa região o mesmo secretário foi uma mais valia para o inicio das obras da bendita estrada Sertã Oleiros, esperemos que em boa hora se conclua.

Mas antevendo o inquérito da próxima quarta feira, a ultima audiência em que esteve presente Alberto Moreno presidente do Instituto de Infra estruturas Rodoviárias (InIR), foi hilariante, depois de ter sido confrontado com o duplo pagamento á lusoponte, o verniz estalou, chegando ao cumulo do presidente da comissão Luis Campos Ferreira ter que intervir várias vezes com palavras duras para acalmar as águas, se de um lado os negócios foram ruinosos para o estado , do outro lado a mentira e o favorecimento aos privados (lusoponte) eram uma evidência. Sem conclusão, sem solução à vista eis que alguém alto e bom som afirmou “Vamos lá fora e falamos “ao bom estilo do oeste .

Aqui a nossa lei é o bota abaixo ,a culpa é do antes, para acreditarmos no presente e certificarmo-nos o depois, mas poupem-nos, não nos podemos dar a esse lixo (luxo)

Bem hajam

Carlos Fernandes 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Oleiros. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *