Editorial: Vamos ser claros?

O que se pretende com as consecutivas notícias sobre as câmaras municipais?

Haverá consciência de quanto são importantes para manter parte do país em funcionamento, mesmo ao nível social?

Creio que não.

O Ministro Miguel Relvas é um especialista em “agitar papões”, mas este agitar não é inocente…pelo contrário, prepara um cenário que devemos combater.

Por partes:

. Quando se fala de câmaras, estamos a falar das 308 câmaras.

. Sabe-se que há cerca de 50 câmaras sem condições de sobrevivência no actual panorama económico-financeiro. Mas são 308 câmaras…

Porque não dizemos claramente que há 50 câmaras inviáveis, e 30 que precisam de apoio especial urgente?

Assim, evitamos falar das câmaras globalmente, criando um pânico desnecessário.

Sabemos haver municípios que fizeram uma gestão pouco cautelosa, criaram empresas municipais, fizeram gastos sem ter em conta os proventos possíveis. Isso é inquestionável.

A não ser clarificada a situação, corremos o risco de em próximas eleições permitir em muitos municípios o que se permitiu na Madeira, deixando Jardim a governar depois de um enorme descalabro.

Alguns dados apontam para situações dramáticas:

. A dívida bruta das câmaras cresceu 103% em 2011!!!!

.  Cresceu 133% nos últimos quatro anos!!!

. Em 2007 as câmaras tinham um endividamento de 5159 milhões de euros e, hoje de 12 000 milhões!!!

Como foi isto possível?

. Portugal no seu todo deve 184 000 milhões!!!

. A curto prazo é preciso “inventar” 3000 milhões!!!

O nosso jornal vai clarificar a situação e exibir as dívidas das câmaras de forma clara nos próximos dias.

Pretendemos com este gesto, clarificar a situação, fazer justiça.

Não mais diremos “As câmaras devem 12 000 milhões“, isso é uma brutal e grotesca injustiça para muitas câmaras.

Director

Paulino B. Fernandes

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Autarquias, Belmonte, Castelo Branco, Covilhã, Destaques, Economia, Fundão, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Política, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei, Vila Velha de Ródão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *