EDITORIAL: ” Portugal e o Futuro …”

Director

O título deste Editorial remete-me para tempos passados na Guiné, para um grande Homem, Spínola que aqui homenageio singelamente, mas que nada tem a ver com a matéria abaixo.

A matéria abaixo é o Portugal actual e o Portugal do futuro…

Que futuro?

Portugal registou no 4º trimestre de 2011 o maior recuo de toda a União Europeia nas profissões mais ligadas aos serviços, os empregados perderam 2,6 % dos seus proventos…para os Liberais, os custos de mão de obra e do trabalho, baixaram substancialmente.

Ao invés, na Itália subiram 2,3%, na Bélgica 2,7, na Espanha 2,9, na Finlândia 3,2, na França 3,4, na Alemanha 3,6, na Áustria 3,9, em Malta 4,0, no Luxemburgo 4,1, na Eslováquia 4,4,, na Estónia 7,2. Apenas a Grécia, naturalmente, também desceu substancialmente…a Tróika e a sua receita!

No emprego recuámos 3,1%, o maior recuo, mas aqui apenas cresceram a Alemanha 0,3, Áustria 0,3 e Finlândia 0,3, desonhecendo-se os valôres da Grécia (deve ser péssimo) do Luxemburgo e da Holanda, ambos moderados em todo o caso.

Com o aproximar do verão e a falta dos subsídios, momento decisivo para todas as famílias, para onde iremos em termos de consumo, logo em termos de emprego e falências?

É mau conjecturar, mas, seguramente, a derrocada será bem maior.

Ao invés, nos grandes grupos, as administrações ganham imenso dinheiro.

O estado é “amigo” desta gente, tem medo deles e até contraria a Tróika que queria ver reduzidas as margens de lucro e o custo dos serviços que prestam…o “Estado” compensa, penalizando mais as classes desfavorecidas…o resultado é o mesmo…as consequências bem mais gravosas.

Entretanto, foi descoberto o causador de todos os males dos últimos 30 anos e dos 20 próximos.

Claro, José Sócrates.

Fácil, útil e apropriado…e passa a mensagem com facilidade…Alguns, mais dia menos dia, apontarão ao ex- Primeiro-Ministro, culpas de coisas praticadas mesmo antes de ter nascido…não falta muito, ainda que, tenha cometido muitos erros, como cometeu, agora chega de “disfarçar a incapacidade actual” com o passado, já não era sem tempo.

Esquecem Cavaco Silva, o político dos políticos, toda a vida na política, mas sem ser político ( como ele diz), esquecem o “monstro” que criou, as estradas e mais estradas, as obras faraónicas, o défice, o òdio que transpira, a mesquinhez da vingança soez que pratica e ainda faltam 4 anos para ir embora em definitivo, ou nem tanto, desejamos nós, com esperança dia-a-dia mais fortalecida.

Director

Paulino B. Fernandes

email: jornaldeoleiros@sapo.pt

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Economia, Editorial. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *