” Para quem não sabe onde quer chegar….” por Carkos Correia

“PARA QUEM NÃO SABE ONDE QUER CHEGAR TODOS OS CAMINHOS SÃO ERRADOS”

CarKos Correia

Portalegre, 10 jan (Lusa) — O “Congress Hotel and SPA Turismo São Mamede”, em Portalegre, encerrou hoje as suas portas, arrastando para o desemprego 22 trabalhadores, disse um dirigente sindical à Agência Lusa.

Portalegre ficou sem qualquer hotel, mais uma machadada no interior de Portugal.

Ao ser confrontado com esta notícia, veio-me a ideia de como aprecio imenso os provérbios populares pela sua sapiência, pois expressam a infinita sabedoria do povo, baseada numa filosofia de experiência e maturidade, sustentada na secular aprendizagem nas aulas do dia -a dia da Universidade da Vida .

Cada provérbio tem a sua lógica, a qual explica a sua razão de ser . Mas só quando as coisas nos batem á porta é que chega a hora de as compreendermos, analisarmos e de avaliarmos a importância dos aforismos.

De entre a imensidão de provérbios que centenas de vezes escutamos há um que se aplica com maior assiduidade sempre que nos acontece uma contrariedade ou  um mau negócio “Quem tudo quer tudo perde”.

Todavia nada acontece por acaso, seja na vida,  nos negócios, nas nossas relações tudo faz parte de  um processo de  planeamento , de escolhas e essencialmente da observação do meio envolvente, qual análise swot ,  se quisermos ser mais eficazes não poderemos descurar, ter um objectivo delinear uma estratégia, executar, testar, corrigir e quantas vezes alterar o objectivo e partir para novas metas e aspirações, não se pode ter tudo diz o povo e com razão, e aprender com os erros dos outros custa menos , e meus amigos nestes tempos difíceis, temos mesmo que fazer mais e melhor com menos não nos podemos dar ao luxo de fazer experiências .

Para que situações destas não se repitam  teremos indubitavelmente de sabermos onde queremos chegar pois caso contrário todos os caminhos são errados

Carkos Correia

Estrito 16 Janeiro 2012

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *