Alguma controvérsia sobra a Igreja do Mosteiro…

ALGUMA CONTROVÉRSIA SOBRE A IGREJA DO MOSTEIRO

CÓNEGO MARTINHO DISPONIBILIZOU TODA A INFORMAÇÃO

Falei ao sr. Cónego Martinho sobre uma questão que me foi colocada, por escrito, sobre a actual e antiga igrejas do Mosteiro.

Foi com muita amabilidade que se prestou logo para falar sobre o assunto e esclarecer tudo o que possam ser dúvidas ou críticas sobre esta questão.

Antes e durante a festa do Mosteiro várias pessoas me voltaram a abordar sempre com apreciações em tom de crítica.

Assim, da conversa que tive com quem me podia efectivamente informar e esclarecer, afirmou que, “a nova igreja em Mosteiro era para ser construída já há mais de 20 anos”.

Sob o projecto que deu lugar à nova casa de Cristo, afirmou-me que “mandou o projecto ao sr. Bispo e que, depois de ser apreciado pela entidade competente da igreja para estas questões, passou sem nenhum reparo e veio aprovado”.

Faltava então cumprir a outra etapa legal que era conseguir a aprovação por parte da Câmara Municipal. Também tratou disso e, finalmente, o projecto estava definitivamente aprovado.

O sr. Cónego, bem como o sr. Bispo (que se congratulou com o projecto), consideraram que o projecto , e agora a igreja , enquadram-se  perfeitamente no meio da povoação e contém os elementos essenciais que caracterizam um templo sagrado para se orar, dizer missas e realizar todos os  serviços religiosos em excelentes condições para todos.

– Mas há quem critique o facto de se demolir a antiga igreja e afirmam

que esta podia ter sido construída noutro local…

– Sabe, o projecto contempla até um jardim exterior onde ficarão expostas algumas das pedras e a própria pia do Baptismo. Digo-lhe também que, ao fazer-se ali esta nova construção, as fundações desta coincidiam com as da antiga, num dos lados.  A igreja era propriedade da “fábrica da igreja” e além disso era pequena e ficavam pessoas quase sempre fora. Agora, há um ano que lá estamos e todos podem entrar e posso afirmar que até têm vindo mais pessoas à missa. Falta, no entanto, o Sr. Bispo vir benzer a igreja. Quando foi da visita pastoral ao nosso concelho por parte do Sr. Bispo, ele fez questão em tirar até uma fotografia à frente desta igreja, na escadaria,  com todo o Povo.

Sei que há pessoas que criticam que os sinos não ficaram virados para os mesmos lados, mas pelo que nos foi dito, a grande cruz incutida na fachada da frente da igreja não permitia manter os sinos nessa posição.

Espero ter, assim, contribuído para o esclarecimento total destas questões que normalmente se levantam normalmente e, perante a mudança, há sempre lugar a resistência. O meu agradecimento ao sr. Cónego pela amabilidade em nos esclarecer a todos, de modo a poder registar aqui de forma pública.

Uma última informação adicional: o financiamento parcial para a construção foi obtido com subsídios da Câmara Municipal e Junta de Freguesia do Mosteiro, várias pessoas e não está totalmente paga, claro.

Luís Mateus

lmateus@iol.pt

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Mosteiro, Oleiros com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *